sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Avelhentada

O pior é o cansaço.As coisas já não tem mais traço de vida,
o corpo perdeu aquela energia ativa, os pés só querem colar ao mesmo chão,
olhos não tão arregalados, o ar mais pesado pra respirar.
Talvez isso proveio do ego mal mado, do algo mal amado ou
do não amado, junto com uma carência incontrolável
que foi procurada para cessar mas os seres se puseram como
não habilitados ou por distraídos,
e nos olhos alusões como: tudo está bem por aí.
Minha chama fatigada creio que esteja se esvaindo, sinto os ossos mais frios
que o olhar,
é...
sempre resta algo na íris por imperceptível que seja, mas desta

vez ela não é mais a mesma.
Todos os meus sentidos querem hibernar dentro de um baú
sem nada esperar, e quem sabe uma dia acordar e dizer:
Era uma quase vida.

1 comentários:

Fionna ^^. disse...

É bom depois poder falar disso como passado depois, sempre que dá. bom título, bom texto.. e aqui termino minha trilogia de comentários. Passo sempre que der, viu?

Abraços de mil cores..