domingo, 26 de abril de 2009

Não quero ser a canção de meu sabor,
quero ter o sabor de ser sua canção.

__________________u_______________________u______________________

Sabe aquelas noites de intermináveis
nostalgias onde há dentro de você uma tristeza
e uma alegria?! Parece não passar
nem mudar, chega e incomoda
demora e vai embora
foi o surto da madrugada
a loucura do tempo
o irregular da vida
os desejos inevitáveis.
_________________x_________________________y______________________

Meses dentro de anos
e és a falta do meu dia
horas vão embora
e minha mente não te ignora
e nas madrugadas ressinto
o cheiro da tua pele
fico imóvel
fecho os olhos e deixo fluir o surreal
amanheceu
o dia veio
o real acordou
teu cheiro já foi
e o meu sonho pesado ficou.

terça-feira, 21 de abril de 2009

Dias Inteiros Pela Metade.

Se todas as vezes que eu me sinto assim
pudesse transfigurar o que eu sinto
talvez veria um dia sem cor,
uma noite esquisita,
as vezes sou o que minto
digo que estou zen, ou que sei bem,
mas sou apenas parte de um grande
teatro.
Um rosto novo a cada dia
dias de alegria,
dias de saudade,
dias inteiros pela metade!
sempre sabe-se o que foi
não se sabe o que virá
por isso apenas penso: Paz ao lamento
e um pouco de felicidade no pensamento.

domingo, 19 de abril de 2009


Viajar é um mar de aventura é procurar e achar sonhos perdidos ver o verde correr e sentir o cheiro do mundo trazido pelo vento. Tanto faz noite ou sol, lua ou chuva, viajar é ser profundo a cada ida e mais intenso a cada volta. É perspectiva de vida é ser turismólogo em cada avenida.

quinta-feira, 16 de abril de 2009

Ela tocou o silêncio se viu no desassossego
viajou no tempo da mente
ficou em desalento.
A lágrima desce pela alma,
não faz falta de ter falta,
queria sentira uma pulsação alegre
mas vive-se no tormento.

sexta-feira, 10 de abril de 2009

Sem Título...



Tá tudo escuro aqui paralisou a casa os cômodos, a sala. Não tem ninguém pra falar sumiu com quem se preocupar e o tédio se torna cada vez mais alto nesse chão. Não é por querer estar assim eu tenho reaver e só acaba na falta do que fazer. Tá tudo sem muro aqui modificou minha cara meus passos, a fala. Não tem ninguém pra proteger não tem ninguém pra se aborrecer ninguém pra chamar sumiu com quem andar e o tédio se torna cada vez mais palco da solidão.

sexta-feira, 3 de abril de 2009

Enquanto a gente caminha
minha alma flutua sozinha
procurando um porto
pra iludir um pouco
pra distrair a solidão

Querendo ou não
estou só
vou vivendo
comigo em mim

Entornando mais uma garrafa
todos procuram graça
parece fácil aos olhos
mas pesa até os ossos
não acho explicação

Sou sincera
matem a tristeza
e a solidão
instruam o coração

Modificando a vida
tornem mais prazerosa
por mais que doída
assim se escapa
e a vida fica vívida

;;